A internet e as tecnologias móveis tornaram obsoleto o escritório como única plataforma de trabalho. Mas é preciso afinar a cultura corporativa

Quem nunca sonhou em trabalhar a menos de 5 minutos do local de trabalho, não é mesmo? Com o home office, cada vez mais gente realiza o sonho de trabalhar dentro do melhor lugar do mundo: lar, doce lar!

Principalmente no mercado de tecnologia da informação, essa realidade já é praticada. Com o avanço da internet e o surgimento de ferramentas de comunicação, muitos profissionais de TI já exercem atividades remotamente, pelo menos um ou dois dias por semana.

O Brasil regulamentou esse modelo de trabalho, o que é considerado uma tendência no mundo para redução de custos e melhora da qualidade de vida de seus colaboradores.

Dessa forma, o home office tem se tornado uma alternativa cada vez mais frequente e viável ao mercado de trabalho atual, principalmente se levarmos em conta a dificuldade de locomoção nas grandes cidades.

Mais conhecido na Europa como Smart Working e nos EUA como Workplace Flexibility, permite “mover o trabalho para os trabalhadores, em vez de mover os trabalhadores para o trabalho”, afirma Jack M. Nilles, em seu livro “Fazendo do Teletrabalho uma Realidade”.

No Brasil, a adoção do teletrabalho ainda está no começo, mas segue ritmo acelerado.

Sua empresa pretende ter uma política para home Office?

Seguem aqui 12 práticas que julgamos consistentes para ajudar no dilema.

Trabalho remoto não serve para todos


Entenda que nem todos estão preparados para o trabalho remoto e algumas funções não são compatíveis com o modelo. Já pensou em um bombeiro que apaga incêndios sem sair de casa?

Nesse ínterim, tudo depende da sua empresa, da cultura corporativa e até do tipo de trabalho realizado. Por exemplo, ao contrário do bombeiro, um freelancer que faz conteúdo para empresas pode trabalhar até debaixo da Torre Eiffel.

Os próprios funcionários podem oferecer ideias valiosas de como eles e suas atividades podem fazer parte do processo.

Apenas cancele trabalho remoto por questões de trabalho


Se você precisar negar o trabalho remoto, tenha certeza de fazer de forma articulada e com raízes em justificativas claras de negócios. É aqui que entra o desafio de não misturar problemas e escolhas pessoais com o trabalho.

Basta pensar como se estivesse em um escritório. Em alguns casos, recomenda-se até desligar o telefone e não atender a campainha. Afinal, o funcionário estará cumprindo horas de trabalho.

Estabeleça metas claras


As vantagens do trabalho remoto estão muito bem documentadas: aumento de produtividade, satisfação dos funcionários, menos tempo gasto com transporte, acesso facilitado a clientes e serviços, redução da emissão de carbono e das despesas com escritório.

Entretanto, você precisa deixar claro o que quer ao implementar o programa remoto e como ele vai beneficiar sua empresa. Isso ajuda a desenvolver métricas e critérios de avaliação para determinar se o home office funciona em sua empresa.

Home office - trabalho remoto

Comece com um programa-piloto


Mudar para um modelo remoto é um grande passo. Mas como diz o ditado: experimente da água antes de mergulhar de cabeça.

Criar um programa-teste com menores proporções vai ajudar a otimizar os recursos necessários e avaliar se tudo o que precisa ser definido está mesmo no lugar. Assim, fica mais fácil de avaliar aspectos como hardware, software para acesso remoto e treinamento dos funcionários, por exemplo.

Crie políticas consistentes de trabalho remoto


As políticas de home office precisam ser consistentes e bem claras. Por exemplo, devem incluir inputs do RH, do departamento jurídico e até mesmo de sindicatos, se necessário.

Certifique-se de que elas espelham as responsabilidades de empregados e empregadores e incluem um check-list de equipamentos e recursos necessários para garantir que o trabalho remoto possa ser feito (acesso a internet, equipamento, software de segurança, dispositivos móveis etc.).

Qualquer funcionário que solicite trabalho remoto deve entender e concordar com os termos e com as ações disciplinares, para que o trabalho aconteça.

Treine os seus funcionários para home office


Como já vimos, educação e treinamento são fatores importantes para o sucesso de um programa de trabalho remoto. Caso não haja instrução, o trabalho pode tomar rumos não muito produtivos.

Assim, o treinamento varia de acordo com a função e a empresa. No entanto, deve orientar o funcionário sobre como ele deve trabalhar em casa: práticas com softwares e recursos, postura de trabalho, rendimento, etc.

Estabeleça práticas de relacionamento entre equipes

Definir regras de interação entre as equipes pode garantir uma transição tranquila, além de ajudar a resolver eventuais crises. Alguns setores necessariamente ficarão na empresa, não podendo atuar de outro lugar. Logo, uma boa prática é criar formas de relacionamento que encurte a distância entre as equipes.

Da mesma forma, vale garantir que o trabalho de quem está fazendo home office equivalha ao de quem está no escritório. O home office não é um privilégio meritocrático e não deve ser entendido como o tal.

Encoraje os empregados a separar vida pessoal de home office

Não é à toa que trabalhar em casa é um desejo pra muita gente: podemos nos vestir como quisermos, ficar na posição mais confortável ou, às vezes, nem sair da cama, certo?

Errado! Na verdade, recomenda-se que um home office esteja em um local tranquilo, longe de distrações. Assim, é importante que o corpo e a mente entendam que é hora de trabalhar.

Se um funcionário que faz home office cai em procrastinação, o risco é grande de tudo dar errado.

Contato direto é fundamental

Sim. Pode ser vantajoso trabalhar sem se preocupar com colegas, chefe e outras pessoas do ambiente de trabalho. Entretanto, não é recomendável que o funcionário se desligue de todos eles.

Apesar de longe de uma sede ou de um escritório, o contato com a equipe deve ser constante, direto e funcional. Inclusive, já existem aplicativos que facilitam esse contato, mas isso é assunto para outro post.

Resolva os problemas tão logo apareçam

Primeiramente, problemas existem em todos os lugares. Logo, não pense que estará livre deles se tiver trabalhando em home office. O ponto importante é como você lida com esses problemas, independente de onde apareçam.

Funcionários remotos tendem a imaginar problemas maiores que eles realmente são. Isso porque estão longe do escritório e perdem boa parte do movimento interno e das conversas de corredor.

Compartilhe:

Sobre o autor:

Sobre o autor:

Posts Relacionados:

Novidades do Blog

Deixe seu e-mail abaixo para passar a receber promoções e novidades do nosso Blog.